[Freelancer] Você é sua maior ferramenta

Não , não é autoajuda. Quando se é freelancer, você, você mesmo, é a sua maior ferramenta. Esqueça Photoshop, Cinema 4D ou After Effects. É o seu corpo, mente e espirito que importa.

E eu vou me usar como exemplo. Sexta-feira, dia 20 de janeiro, eu me acidentei. Treinando Aikido, fui fazer uma técnica chamada mae ukemi. Consiste num rolamento para frente, usando o braço como apoio para realizar uma espécie de cambalhota. Acontece que eu errei o timing e bati o ombro no chão. O resultado: uma clavícula fraturada. E esta postagem está sendo digitada usando um único braço.

Eis exatamente onde quero chegar.

Quando você é freelancer, não há licença médica, CLT, ou férias antecipadas. O que há é a incapacidade de trabalhar e, com isso, a possibilidade de perder ou simplesmente não ganhar dinheiro. Por isso, é muito importante garantir que o seu corpo, mente e espírito estejam em ordem para que você, a maior, melhor e mais importante ferramenta do seu trabalho, esteja perfeita.

Vou te dar algumas dicas que vão ajudar você a ser um profissional melhor.

1. Pratique atividade física

Não só faz bem para o corpo como para a mente. O sedentarismo é um dos maiores inimigos da saúde, e a prática de atividade física ajuda a combater o stress e a ansiedade através da liberação de substancias químicas no corpo que te farão bem. Fora que é excelente para sair da rotina e ter um momento seu para fazer o que gosta (além do trabalho). Vale até mesmo aquelas que podem ser perigosas, tipo Aikido.

2. Cuidado com o peso

É comum não dar atenção à alimentação quando a vida é muito corrida. E pior: muitas vezes saciamos a ansiedade comendo. O sobrepeso ou até obesidade são grandes inimigos do nosso trabalho. Esqueça a ditadura da beleza. Isso é real. Glicose, gordura e colesterol demais no sangue não vão te trazer nenhum bem, e se você não sente os malefícios hoje, um dia vai sentir. O peso pode ser combatido com dieta e prática de atividade física.

3. Descanse

Ok, você tem gás para trabalhar 15h por dia, 7 dias por semana. Mas isso não é bom. O cérebro precisa de descanso para processar o aprendizado e as ideias, e também para descansar. Como toda ferramenta, o uso continuo vai causando desgaste. O coração também precisa de atenção. O constante estado de pressão e ansiedade do trabalho, aliados com a fata de descanso adequado, como dormir pouco, produzem mais batimentos cardíacos, mais sangue correndo e você pode ter uma estafa, parada cardíaca ou AVC.

Não vale ficar assistindo Netflix com o notebook no colo trabalhando ou o celular no Vimeo ou You Tube buscando referências. Descansar é saber quando parar de trabalhar. Não é porque dá prazer que não faz mal. Valorize o ócio criativo.

No fim...

Eu trabalho num ritmo semelhante ao da minha esposa: 8h por dia, 44h semanais. Pratico aikido, que é uma prática muito envolvente e relaxante, e também tento me alimentar bem. Odeio verdura, mas na semana como muito pouco para abusar um pouquinho no sábado. Ou seja, estou mantendo a minha ferramenta de trabalho apta. 🙂

E aí que, independente disso, acidentes acontecem. Meu osso quebrou, tenho trabalho para entregar, cirurgia para fazer, fisioterapia depois, 6 meses até total recuperação.

 

Como sobreviver a isso sendo freelancer?  Continuamos na próxima postagem!

Sobre Dimitri Bastos

Designer gráfico freelancer atuando com Motion Graphics, 3D e ilustração, também professor e fundador da Academia Criativa. Nas horas vagas é aspirante a escritor e jogador de videogame. 😀 www.dimitribastos.com

3 Mensagens

Postar uma mensagem